;

terça-feira, 23 de março de 2010

Trilhos de Açafa 2010 (Vila Velha de Rodão)

Após nos recompormos da fraca maratona de Tomar passado oito dias foi tempo de irmos pedalar pelos trilhos da Açafa em Vila Velha de Ródão uma organização do grupo desportivo dos B.V. de V. V. Ródão e que contou com mais de quatrocentos e cinquenta participantes, onde nove bettistas eram os estremocenses do SDT.

Logo á chegada fomos brindados com um pequeno-almoço muito diversificado e em grande quantidade de bolos e doces, feitos pelas pessoas da terra/organização.

Há partida já se esperava alguma dificuldade inicialmente pelo gráfico da altimetria (cerca de 800m de acumulado para o percurso dos trinta e cinco quilómetros), bem como a zona situada nas margens do Tejo. Logo nos primeiros quilómetros podemos constatar esse facto com uma grande e longa subida que mais fazia lembrar estarmos na nossa Serra d'Ossa, após essa penosa subida começaram aparecer uns singles muito técnicos e espectaculares pelo meio do eucaliptal, com metade dos quilómetros já percorridos, passamos pela aldeia de Salavessa onde a quantidade de público nos surpreendeu e nos incentivou para os restantes quilómetros que foram mesmo há beira do rio Tejo por mais um magnífico e longo single track que deixou todos os participantes maravilhados e encantados. As marcações/sinalizações e abastecimentos foram igualmente de grande nível, onde a presença dos bombeiros fora uma constante durante todo o percurso bem como o pessoal da organização.

A classificação a chegada dos trinta e cinco quilómetros dos nossos atletas estremocenses onde estiveram presentes trezentos e vinte e sete bettistas foi a seguinte: em 7 lugar a três minutos do primeiro lugar Carlos Merino com 1h: 53min; 23º Vítor Catambas com 2h:07mim; 51º Jorge Silva com 2h: 24min em 52º João Marques com o mesmo tempo; 65º Pedro Guerra com 2h:31mim; 70º Daniel Cochicho 2h:33mim; 73º João Garcia 2h:35mim; 85º Pedro Perdigão com 2h:40mim e 133º Acácio Pucarinhas com 2h:58mim. No percurso dos sessenta e cinco quilómetros terminaram oitenta e quatro.

O almoço fora servido debaixo de uma tenda, mesmo ao lado de onde fora a partida/chegada dos participantes onde as gentes da terra com enorme simpatia prepararam um magnífico almoço em fartura e diversidade.

Fica em resumo uma magnífica maratona onde todos os participantes saíram de certeza bastante satisfeitos pela excelente organização e simpatia com que nos acolheram, bem como as marcações e magníficos trilhos por onde pedalamos, fica só um pequeno senão para os banhos de água fria. Fica a promessa que para o ano o SDT estará novamente presente.

Dia 21 o SDT estará presente na maratona do Centro em Leiria e no dia 28 de Março na III Maratona do Sardoal.

As fotos aqui...

quinta-feira, 18 de março de 2010

2ª Maratona de Tomar

Esta foi a segunda maratona da cidade de Tomar, organizada com a parceria de uma loja de bicicletas e com a Associação TT Minjoelho que contou com a presença de cerca de trezentos e cinquenta participantes onde entre eles se encontrava os estremocenses SDT João Garcia, João Marques, Carlos Merino e o Carlos Bilro.

A partida atrazada começara logo mal com meia hora de atraso deixando os participantes muito impacientes, pois as condições climatéricas eram de frio e ameaça de chuva era iminente, após alguns assobios lá foi dada a partida onde demos uma volta por dentro de Tomar. A saída do alcatrão começou logo o lamaçar e que já era de esperar devido ha grande quantidade de chuva que tem caído, o que não era de esperar era as más marcações do percurso onde as fitas faltaram em alguns pontos e que fez com que os participantes se perdessem várias vezes. A ausência de placas direcção e placas de perigo também foi uma nota negativa pois simplesmente não existiram bem como uma viatura de primeiros socorros nem pontos de controlo.

A maratona contou com dois percursos, o passeio de quarenta quilómetros onde estivermos presentes e a maratona de oitenta quilómetros que ha ultima da hora fora alterada para sessenta e cinco quilómetros. o percurso este onde estivemos presentes conteve muitos trilhos bastantes agradaveis, com muitos singles track subidas muito inclidadas que no final deu um acumulado de cerca de 850 metros.

A chegada a Tomar foi feita sem marcações pelo trânsito local, onde cada participante ia chegando há zona da meta vindo de direcção divergentes. Outro erro após a chegada foi a falta de lavagem de bicicletas onde a quantidade de lama nas nossas máquinas e em nós era mais que muita e que necessitavam de ser lavadas, tiveram de ser numa estação de serviço a pagar...

A classificação dos nossos atletas SDT entre duzentos e vinte participantes totais que concluíram os dois percursos ficou assim ordenada: (no passeio): 15º Carlos Merino com o tempo 2h:57 min; 34º Carlos Bilro com 3h:23min; 72º João Marques 3h:43min e 77º João Garcia 3h:44min, onde grande número de participante acabou por desistir e outros mesmo nem se quer cortaram a linha de meta.

Após o merecido banho foi tempo de ir repor as energias no almoço que fora servido na freguesia de Minjoelho a alguns quilómetros de Tomar e onde tivemos muitas dificuldades de encontrar...




Em resumo fica na memória os magníficos trilhos na zona de Tomar, bem como a má marcação/sinalização dos mesmos.

Todas as fotos aqui..

quarta-feira, 10 de março de 2010

2ª Maratona BTT de Veiros


Temporal não faz parar bttetistas Estremocenses...

Esta foi a 2 Maratona btt em Veiros, maratona organizada pela AJOV (Associação de Jovens Veirenses) e teve como objectivo principal a angariação de fundos para uma cadeira de rodas para uma senhora.
Contou com cerca de oitenta participantes com a inscrição paga, mas face ao dia invernal que o instituto de meteorologia anunciou para este sábado de alerta laranja devido ha chuva e vento forte, so compareceram cinquenta e seis participantes há partida nesta freguesia mesmo aqui ao nosso lado, onde nove bravos eram do SDT, foram dar seu contributo para esta nobre causa.
A manha começou muito chuvosa e com ventos muito fortes ha semelhança da madrugada, onde alguns bttistas aguardavam abrigados por onde podiam a partida, para um percurso que se adivinhava muito duro e pesado e não foi preciso esperar muito para constatar-mos isso, bastou ser dado o sinal da partida para começarem as dificuldades, pois alem de um percurso complemente alagado as marcações/sinalização foram uma nota negativa onde em algumas zonas não existiam e quando existiam eram muito pequenas e de fraca visibilidade, como era de esperar deu origem a muitos participantes se perderem.

No final o percurso que inicialmente era para ser de cinquenta quilómetros acabou por ter quarenta quilómetros devido a uma alteração de ultima hora por parte da organização devido ha grande quantidade de agua que os ribeiros transportavam. Terminaram quarenta e seis participantes, havendo muitas desistências por problemas mecânicos e físicos.

A classificação ficou ordenada da seguinte forma: 1º Daniel Dias com o tempo de 2 horas e 09 minutos; 2º Carlos Merino (SDT) com 2 horas e 12 minutos e em 3º Marco Castelo 2 horas e 18 minutos, dos restantes elementos estremocenses chegou em 17º o Vítor Catambas (SDT) com o tempo 2 horas 40 minutos; 20º Gonçalo Velez (CCE) 2 horas 47 minutos; 21º Jorge Silva (SDT) 2 horas 49 minutos; 28º Humberto Camões (SDT) 3 horas e 01 minutos; 32º André Arvana (SDT) 03 horas e 07 minutos; 37 Pedro Perdigão (SDT) com 3 horas 20 minutos; 40 Daniel Cochicho (SDT) 3 horas e 58 minutos, com o mesmo tempo Jorge Pereira (SDT) em 41º, para finalizar em 45º Luís Bailão com 4 horas e 01 minutos. (Rota d’Ossa). O Acácio Pucarinhas (SDT) e roberto Geadas desistiram com problemas mecânicos e físicos.

Após tanta lama e completamente encharcados, banho era o que mais se desejava, onde inicialmente na junta de freguesia foram de água fria, mudando depois para as fracas instalações nas casas de banho do rossio, mas desta vez já de agua quente.



Fica o esforço e simpatia sempre presente por parte da organização com que fomos recebidos e que se esforçaram para que tudo corre-se bem, mas onde a falta de alguns meios, infra-estruturas e bem como a falta de inexperiência marcaram negativamente esta prova invernal...

Sobedesceteam@gmail.com
;